Participe!

Você é o nosso convidado especial!

Lembra-te do Senhor nos dias de tua mocidade!

Participe e leve consigo mais um jovem!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

CNBB lança concurso para o cartaz e o hino da Campanha da Fraternidade 2018

CNBB lança concurso para o cartaz e o hino da Campanha da Fraternidade 2018

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a terça-feira, 20, o concurso para a escolha do cartaz da Campanha da Fraternidade 2018. E no dia 21, o edital para a escolha da música tema da campanha.
Com base no tema da CF2018 “Fraternidade e superação da violência” e o lema “Vós sois todos irmãos”, o cartaz da Campanha da Fraternidade deverá conter além da arte, os dizeres do título e do lema. Além disso, é exigido também que a mensagem possa ser lida, entendida e assimilada pelo público a uma razoável distância de 10 metros.
Em relação às características, o edital sugere que a mensagem exposta no cartaz apresente um impacto no público e dê um maior destaque ao tema e, posteriormente, ao lema. Também é proposto que o candidato pense em uma arte que seja viável para ser aplicada além do cartaz como por exemplo, adesivo, camiseta, bonés, mochilas.
As criações deverão ser encaminhadas à sede da CNBB até o dia 20 de julho. O Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da CNBB procederá a escolha do cartaz, tendo liberdade para sugerir as modificações necessárias. O autor será premiado com o manual dos subsídios da CF 2017 e terá o nome em todos os textos impressos.
“Os bispos do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) agradecem aos que se sentiram inspirados a partilhar do seu talento para construir o instrumental capaz de fazer chegar ao coração de cada irmão e irmã a mensagem de Jesus, nosso Senhor e Salvador. Por intercessão de Nossa Mãe Aparecida, desça sobre o povo brasileiro a bênção de Deus Pai e Filho e Espírito Santo”.
Confira o edital completo.
Música deve ter caráter convocatório
Encontra-se aberto o Concurso para o Hino da Campanha da Fraternidade (CF) 2018, promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Desta vez, por decisão dos bispos do Conselho Episcopal de Pastoral (CONSEP), o concurso será realizado em um edital, letra e música, simultaneamente, podendo haver parceria entre letristas e músicos.
Conforme o edital do certame, a música deve traduzir, em linguagem poética, os conteúdos do tema: “Fraternidade e superação da violência”, do lema: “Vós sois todos irmãos” (Cf. Mt 23,8) e os objetivos da CF. É necessário também que os candidatos busquem inspiração nas sagradas escrituras e no magistério da Igreja. “A letra deve explorar o caráter convocatório aos cristãos para o engajamento concreto da fé”, diz o edital do concurso.
Os interessados em participar deverão apresentar suas produções de forma escrita, em pauta musical, com indicação de acordes (cifras) para o acompanhamento instrumental. As melodias que não estiverem anotadas na pauta serão desclassificadas. É necessário gravar a música em CD, com ou sem acompanhamento instrumental. O prazo para que as composições sejam enviadas à CNBB é até o dia 31 de julho de 2017.
Confira, aqui, a íntegra do edital e anexos.
Campanha da Fraternidade
Em 1964, em pleno desenvolvimento do Concílio Vaticano II, realizou-se a primeira Campanha da Fraternidade, em âmbito nacional, sob os cuidados da CNBB. Expressão de comunhão, conversão e partilha, a CF tem como objetivos permanentes despertar o espírito comunitário e cristão na busca do bem comum; educar para a vida em fraternidade e renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação evangelizadora, em vista de uma sociedade justa e solidária.
A cada ano, os bispos do Consep da CNBB, acolhendo as sugestões vindas dos regionais da CNBB, das organizações eclesiais, escolhem um tema e um lema para chamar a atenção sobre alguma situação que, na sociedade, precisa de cuidados para o bem de todos. Para o ano de 2018, foi escolhido o tema “Fraternidade e superação da violência” e o lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 28,3). Um dos objetivos este ano é “construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência”.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

CARTA CONVITE: Formação para Catequistas Iniciantes

Resultado de imagem para catequese

Queridos Catequistas, Paz e Bem!

A Catequese é um pilar para a educação da fé, é um serviço à Igreja e na Igreja. Ajudar as crianças, os rapazes, os jovens, os adultos a conhecer e a amar sempre mais o Senhor é uma das aventuras educativas mais belas, constrói-se a Igreja! “Ser” catequistas requer amor, amor sempre mais forte por Cristo, amor pelo seu povo santo. E este amor, necessariamente, parte de Cristo. Por isso precisamos ser essa Igreja que o Papa Francisco nos pede, um Igreja que não parar.

Gostaria muito de poder contar com a presença de “todos os catequistas de todas as comunidades de nossa Paróquia São Francisco das Chagas” para que possamos juntos rezar, avaliar e planejar nossa missão para os próximos anos!

A equipe de coordenação da Assembleia e o Pároco convoca VOCÊ a se fazer presente e participar deste momento, contribuindo com suas opiniões e sugestões para que possam concretizar as prioridades da Catequese.

É importante observar que o catequista que se sentiu chamado à missão, precisa ter algumas características em sua personalidade como: ser uma pessoa simples, capaz de receber a todos, ser atencioso, acessível, disponível, paciente, animador, unificador, ser exemplo e ser autêntico. Assim ele pode desenvolver atitudes de acolhida, atitudes de escuta e atitudes de serviço. Sendo e desenvolvendo isso ele pode crescer: na consciência da importância da vocação de ser catequista, na percepção que é agente de transformação e instrumento na mão de Deus, para sem medo colocar os próprios dons  a serviço da evangelização, crescer no saber através do estudo e na constante procura de formação, na consciência de ser enviado a uma missão, a um ministério em nome de Jesus Cristo na comunidade eclesial e no saber fazer, sempre presente nos planejamentos, preparando os encontros sem esquecer da caminhada catequética na ação pastoral de conjunto da sua comunidade.


FORMAÇÃO PARA CATEQUISTAS INICIANTES
Local: Centro Paroquial São Francisco das Chagas
Data: 30/06 a 02 de Julho de 2017

Tema: Iniciação Cristã com Inspiração Catecumenal.


          
 + Frei Osmar Rodrigues de Jesus, OFM
Pároco

Elideusa da Silva
Coordenadora

Solenidade dos apóstolos Pedro e Paulo no Vaticano

A Praça São Pedro amanheceu em festa hoje, quinta-feira, dia 29 de Junho de 2017, colorida com tapetes de flores de várias confrarias e comunidades que vieram celebrar a Solenidade de São Pedro e Paulo, padroeiros de Roma e alicerces da Igreja Católica.

O Papa Francisco celebrou a missa com os 36 arcebispos metropolitanos nomeados no último ano. Na cerimónia, o Papa abençoou e entregou o pálio aos novos arcebispos. Desde 2015, esta faixa não é mais colocada pessoalmente pelo Papa nos ombros dos arcebispos; a imposição é realizada nas respectivas arquidioceses pelo Núncio Apostólico no país.

O pálio é o símbolo do serviço e da promoção da comunhão na própria Província Eclesiástica e em comunhão com a Sé Apostólica. Elaborado com lã branca, tem cerca de 5cm de largura e dois apêndices – um na frente e outro nas costas. Possui seis cruzes bordadas em lã preta.
É confeccionado pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma, utilizando a lã de dois cordeiros que são oferecidos ao Papa no dia 21 de Janeiro de cada ano na Solenidade de Santa Inês.

O pálio passou a ser usado pelos Metropolitanos a partir do século VI, tradição que perdura até aos nossos dias. Nos primeiros séculos do Cristianismo, era exclusivo dos Papas.

A liturgia de hoje, disse Francisco, na homilia,  oferece três palavras essenciais para a vida do apóstolo: confissão, perseguição, oração.

“Quem sou Eu para ti?” é, prosseguiu o Papa, a pergunta que Jesus dirige a todos nós e, de modo particular, a nós Pastores. É a pergunta decisiva, face à qual não valem respostas de circunstância, porque está em jogo a vida: e a pergunta da vida pede uma resposta de vida”.

Daí a questão fundamental de saber se, disse o Santo Padre, somos ‘Seus’ não só por palavras, mas com os fatos e a vida:

“Somos cristãos de parlatório, que conversamos sobre como andam as coisas na Igreja e no mundo, ou apóstolos em caminho, que confessam Jesus com a vida, porque O têm no coração?” questionou Francisco advertindo que quem confessa Jesus, faz como Pedro e Paulo: segue-O até ao fim; não até um certo ponto, mas até ao fim, e segue-O pelo seu caminho, não pelos nossos caminhos.

O Papa passou em seguida à segunda palavra: perseguições.

“Também hoje, disse, em várias partes do mundo, por vezes num clima de silêncio – e, não raro, um silêncio cúmplice –, muitos cristãos são marginalizados, caluniados, discriminados, vítimas de violências mesmo mortais, e não raro sem o devido empenho de quem poderia fazer respeitar os seus direitos sagrados”.

A terceira palavra é oração. Francisco disse:
“A vida do apóstolo, que brota da confissão e desagua na oferta, flui dia-a-dia na oração. A oração é a água indispensável que alimenta a esperança e faz crescer a confiança. A oração faz-nos sentir amados e permite-nos amar. Faz-nos avançar nos momentos escuros, porque acende a luz de Deus na escuridão da nossa vida. Na Igreja, é a oração que nos sustenta a todos e nos faz superar as provações.

Afirmando que “a oração é a força que nos une e sustenta, é o remédio contra o isolamento e a auto-suficiência que levam à morte espiritual”, o Papa exortou:  “Como é urgente haver hoje, na Igreja, mestres de oração, mas antes de tudo, homens e mulheres de oração, que vivem a oração!”.
Concluindo a sua homilia, Francisco assegurou aos cardeais e arcebispos que o Senhor estará perto de todos “na opção de viver para o rebanho imitando o Bom Pastor”, e saudou a delegação do Patriarcado Ecuménico enviada pelo, disse, “querido Irmão Bartolomeu” em sinal de comunhão apostólica.

Com informações da Rádio Vaticano.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Programação do Tríduo do Sagrado Coração de Jesus que começa nesta quarta-feira

O Apostolado da Oração junto com a Paróquia São Francisco das Chagas convidam a todos os fiéis para o Tríduo do Sagrado Coração de Jesus que acontecerá nos dias 21, 22 e 23 de julho de 2017.

Confira a programação.

Quarta-Feira, 21 de julho/2017
19:00 horas: Abertura do Tríduo – celebrante Fr. Gilberto.
Local: Igreja Matriz.

Quinta-Feira, 22 de julho/2017
19:00 horas: Segundo dia do triduo.
Local: Igreja Matriz.

Sexta-Feira, 23 de julho/2017
19:00 horas: Encerramento do Tríduo – celebrante Fr. Osmar de Jesus.
Local: Igreja Matriz.

Você é o nosso convidado especial para esses momentos de louvor e adoração ao Sagrado Coração de Jesus.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Tradicional solenidade de Corpus Christi acontecerá nesta quinta-feira (15) na Praça da Bíblia, em Bacabal


Neste quinta-feira (15) a igreja no mundo inteiro celebra a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi). Pelo Brasil afora várias manifestações de fé marcam essa data.

Em Bacabal, o evento religioso contará com uma programação que envolverá as três paróquias da cidade (Santa Teresinha, São Francisco das Chagas e Sant’Ana e São Joaquim).

A Missa solene será presidida pelo Bispo Diocesano de Bacabal, Dom Armando Martin, e contará com a presença de todo o clero na praça da Bíblia (antiga praça Cleomenes Falcão
)
, às 17 horas.

Após a missa, todos percorrerão as principais ruas de Bacabal em uma grande manifestação de fé na Eucaristia, até chegar ao Largo da Catedral Diocesana Santa Teresinha, onde acontecerá a bênção do Santíssimo Sacramento.

De tradição antiquíssima, esta festa, comemorada publicamente e de modo solene, manifesta a centralidade da Santa Eucaristia, sacramento do Corpo e Sangue de Cristo: o mistério instituído na última Ceia e comemorado todos os anos na Quinta-Feira Santa, após a solenidade da Santíssima Trindade.