Participe!

Você é o nosso convidado especial!

Lembra-te do Senhor nos dias de tua mocidade!

Participe e leve consigo mais um jovem!

quinta-feira, 30 de março de 2017

Formação Paroquial de Liturgia acontece nesta sexta-feira (31)


Aos longos desses meses aprendemos que para fazer liturgia é preciso primeiro conhecer para amar e só assim podermos celebrar com consciência o Mistério celebrado. Por isso, que nos veio a pensar a forma como estamos celebrando. A Equipe de Liturgia é apenas uma parte do corpo celebrante, pois todos que estão presentes na Santa Missa fazem-se parte deste Corpo Místico de Cristo.

Daí, a partir da nossa realidade da matriz, está presente os seguintes grupos: Equipe de Liturgia, Ministério de Música, Coroinhas, Ministros Extraordinário da Comunhão, Pastoral da Acolhida e PASCOM.

Com o propósito de viabilizar maior e melhor formação aos agentes de pastorais de nossas comunidades, a Paróquia programou para o próximo final de semana um grande encontro de formação litúrgica.

Os destinatários deste material são as equipes de liturgia paroquiais, capelas e comunidades, bem como todas as pessoas que se interessam pelo tema.

Data: 31/03 a 02 de abril de 2017
Horário: às 18:00hrs
Valor: R$ 5,00
Local: Centro Franciscano de Animação Missionária - CEFRAM
Tema: Por uma Liturgia que cultive e Guarde a Criação.

Com informações da Secretaria Paroquial.

sexta-feira, 17 de março de 2017

CARTA CONVITE: Assembleia da Pastoral Catequética


Tema: Por Uma Catequese Renovada
Lema: Jesus se aproximou e começou a caminhar
 com eles. Lc 24, 13-53 

Queridos Catequistas, Paz e Bem!

A Catequese é um pilar para a educação da fé, é um serviço à Igreja e na Igreja. Ajudar as crianças, os rapazes, os jovens, os adultos a conhecer e a amar sempre mais o Senhor é uma das aventuras educativas mais belas, constrói-se a Igreja! “Ser” catequistas requer amor, amor sempre mais forte por Cristo, amor pelo seu povo santo. E este amor, necessariamente, parte de Cristo. Por isso precisamos ser essa Igreja que o Papa Francisco nos pede, um Igreja que não parar.

Gostaria muito de poder contar com a presença de “todos os catequistas de todas as comunidades de nossa Paróquia São Francisco das Chagas” para que possamos juntos rezar, avaliar e planejar nossa missão para os próximos anos!

A equipe de coordenação da Assembleia e o Pároco convoca VOCÊ a se fazer presente e participar deste momento, contribuindo com suas opiniões e sugestões para que possam concretizar as prioridades da Catequese.

Venha e traga muita disposição e alegria para partilhar neste momento de convivência salutar da nossa Pastoral.

ASSEMBLEIA DA PASTORAL CATEQUÉTICA
Local: Centro Paroquial São Francisco das Chagas
Data: 17 a 19 de Março de 2017
Horário: 18:00h às 12:00h
Taxa: Grátis.
          
 + Frei Osmar Rodrigues de Jesus, OFM
Pároco

Elideusa da Silva
Coordenadora

terça-feira, 7 de março de 2017

Romaria Nacional da Juventude abre inscrições

Estão abertas as inscrições para a Romaria Nacional da Juventude 2017, que será realizada nos dias 29 e 30 de abril, no Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo (SP). Milhares de jovens são esperados para o evento, que é aberto ao público, e contará com uma programação diversificada.
Promovida pela Comissão para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com o Santuário Nacional de Aparecida, a 2ª Romaria Nacional da Juventude terá como tema “Maria e a Doutrina Social da Igreja”. A iniciativa integra o projeto #Rota300, que celebra os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Rio Paraíba do Sul.
Os interessados em participar da romaria devem se inscrever através do link: https://goo.gl/forms/lWLLYhTRtfOgBtHe2. No momento do cadastro, o usuário deverá fornecer o nome do grupo, da diocese, o estado, a cidade, além de informações pessoais tais como telefone e e-mail. O evento é totalmente gratuito, sendo que os custos com hospedagem e alimentação é individual.

Programação

A programação da Romaria Nacional contará com tendas de formação das expressões juvenis (movimentos, novas comunidades, congregações, pastorais juvenis), além de uma “tenda especial” que celebrará os 10 anos do documento 85 da CNBB “Evangelização da Juventude: Desafios e Perspectivas Pastorais”; os 10 anos do Projeto Lectionautas e o recém lançado “Docat” – a Doutrinal Social da Igreja para os Jovens. 
Nas tendas, os jovens terão oportunidade de participar de catequeses com os bispos e de momentos de animação, terço, apresentações teatrais, música, dança e outras atividades. Haverá ainda shows com artistas católicos e vigília. 
No último dia, 30, a Romaria será encerrada com a missa de envio. Após, haverá um encontro, das 10h às 13h, de jovens de grupos paroquiais. 
Cronograma
Dia 29 de abril
08h às 17h – Tendas de formação das expressões juvenis
20h30 – Show com artistas católicos
22h às 23h30 – Vigília
Dia 30 de abril
06h30 – Concentração dos jovens no Palco Central
07h – Romaria (em torno do Santuário)
08h30 – Santa Missa de envio
10h – Encontro de jovens de grupos paroquiais (para inscritos) 

Com informações da CNBB.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Abertura da CF 2017 será neste sábado (04.03)

A Campanha da Fraternidade (CF) 2017, organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), apresenta reflexões com impacto direto na vida das pessoas, no meio ambiente e na relação de cada indivíduo com o mundo criado por Deus. Com o lema: “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15) e o tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, o grande objetivo da CF, deste ano, é promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho, sob a ótica dos biomas brasileiros.

Em Bacabal, a abertura da CF 2017 terá as três paróquias da cidade reunidas na Quadra do Colégio Nossa Senhora dos Anjos (CONASA) no próximo sábado (04), a partir das 18:00h, em uma cerimônia que deverá contar com fiéis de diversas comunidades e que será presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Armando Martín Gutierrez. 

Um dos objetivos específicos contidos no Texto-Base da CF 2017 aponta para a necessidade de conhecermos sobre cada bioma, suas belezas e significados, sua importância para a vida e para o planeta. Esse exercício ajuda as pessoas a se comprometer com ações concretas. E, obviamente, que este compromisso não se resume ao cuidado e respeito à Natureza, mas também às pessoas que estão inseridas no contexto de cada bioma brasileiro.

O Papa Francisco, na Encíclica Laudato Si’ – na qual aborda questões ecológicas e a necessidade do cuidado com o mundo, nossa “casa comum” – convida a cada pessoa a assumir uma postura de “conversão ecológica”. Dentre muitas coisas, trata-se de acolher o cuidado com os dons de Deus, das coisas mais simples às mais complexas. Junto com a experiência quaresmal, a conversão ecológica certamente é o fio condutor da Campanha da Fraternidade 2017.

Com informações da CNBB

quarta-feira, 1 de março de 2017

Lançada CF 2017 em Brasília

“Como bem sabemos, a importância da Campanha da Fraternidade tem crescido a cada ano, repercutindo não apenas no interior das comunidades católicas, mas também nos diversos ambientes da sociedade, especialmente pela sua natureza e pela iminência dos assuntos abordados”. Foi com estas palavras que o arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Sergio da Rocha, abriu oficialmente a Campanha da Fraternidade 2017. 
A cerimônia ocorreu na sede da entidade, nesta quarta-feira, 1º de março, em Brasília (DF). Com o tema “Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida”, este ano, a Campanha busca alertar para o cuidado e o cultivo dos biomas brasileiros: Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga, Pampa, Pantanal e Amazônia. Além disso, enfatiza o respeito à vida e a cultura dos povos que neles habitam. O lema escolhido para iluminar as reflexões é “Cultivar e guardar a criação (Gn 2, 15)”.
Para dom Sergio, a temática é de extrema urgência. “Cada Campanha da Fraternidade quer nos ajudar a vivenciar a fraternidade em um campo específico da vida ou da realidade social brasileira que tem necessitado de maior atenção e empenho, e este ano o tema escolhido é de grande notoriedade”, enfatizou. Ainda de acordo com ele, é preciso que as pessoas conheçam os biomas a fundo para poderem “contemplar a beleza e a diversidade que estão estampados no próprio cartaz da Campanha da Fraternidade”.
Na mesa de abertura, dom Sergio disse ainda que não bastava apenas conhecer os biomas e que era preciso também refletir sobre a presença e sobre a ação humana nesses ambientes. Ele também ressaltou a valorização dos povos originários, que de acordo com ele são “verdadeiros guardiões dos biomas”. “Nós precisamos valorizar, defender a vida e a cultura desses povos, mas também somos motivados a refletir sobre as causas dos problemas que afetam os biomas como, por exemplo, o desmatamento, a poluição da natureza e das nascentes. Necessitamos também refletir sobre a ação de cada um de nós e nossas posturas nos biomas onde estamos inseridos”, disse.
Por último, o bispo destacou que pode haver um certo estranhamento por parte das pessoas em relação à Igreja ter escolhido este assunto para a Campanha, mas segundo ele, ninguém pode assistir passivamente à destruição de um bioma ou de sua própria casa, da Casa Comum. “O assunto de fato não pode ser descuidado, não pode ser deixado para depois, ele necessita da atenção e dos esforços de todos. O tema tem sim muito a ver com a fé em Cristo, com a fé no criador, com a palavra de Deus, e admirar os biomas é contemplar a obra do criador”, finalizou.

Proposta da CF é de extrema importância

O presidente da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado federal Alessandro Molon, compôs a mesa da cerimônia e, em sua fala, agradeceu pela escolha do tema por parte da Igreja no Brasil, considerando a iniciativa um serviço de extrema importância para o país e para a proteção do meio ambiente. O parlamentar lembrou e agradeceu ainda pelo pontificado do papa Francisco, “grande liderança mundial que precisa ser apoiada, que, dentre outras iniciativas importantes, escreveu a encíclica Laudato Si’ e tem dedicado uma parte especial do seu ministério ao convite de uma ecologia humana e integral, lançando luz sobre a relação entre degradação do ambiente, injustiça social e pobreza”. 
Molon indicou que, dos oito objetivos específicos da CF, quatro serão de grande importância para a Frente Parlamentar em 2017: o aprofundamento do conhecimento de cada bioma, o comprometimento com as populações originárias, o reforço do compromisso com a biodiversidade e a contribuição para a construção de um novo paradigma ecológico. Ao final, apresentou dez desafios da Frente Parlamentar aos quais pediu apoio da CNBB e do Ministério do Meio Ambiente.

Ações convergentes

“Sentimo-nos, portanto, amparados e revigorados na busca dos nossos objetivos”, afirmou o secretário de articulação institucional e cidadania do Ministério do Meio Ambiente, Edson Gonçalves Duarte, ao comentar a escolha da temática da CF 2017. O representante do ministro Sarney Filho iniciou sua fala lembrando da atuação do bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, na defesa do Rio São Francisco e ressaltou que o cuidado com os biomas permeia todos os campos de atuação do Ministério: florestas, biodiversidade, água, extrativismo, clima, desenvolvimento sustentável e cidadania ambiental.
O secretário lamentou que no dia-a-dia de quem trabalha com ambientalismo, que se depara com profundo desconhecimento de parte da sociedade brasileira “que muitas vezes até compreende a importância da Amazônia, mas não percebe que o equilíbrio ecológico dos biomas é necessário para a manutenção não apenas da fauna e da flora, mas também da vida humana”.
Duarte considerou que muitas das ações propostas pela Campanha da Fraternidade convergem com as prioridades determinas pelo MMA, como o combate ao desmatamento, o aprimoramento do monitoramento dos biomas, proteção de nascentes e matas ciliares, apoio aos povos tradicionais e a educação ambiental. “A incorporação de toda essa temática na perspectiva de trabalho da CNBB fortalece sobremaneira a defesa dos biomas brasileiros, pois, além de um arcabouço científico muito bem estruturado, a Campanha da Fraternidade reveste suas ações de uma riqueza espiritual capaz de tocar as consciências de uma forma profunda”, salientou.

Com informações da CNBB.