sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Começa os Festejos de São Francisco das Chagas 2016


Começou nesta quinta-feira (01) o Festejo dedicado à São Francisco das Chagas, padroeiro da Paróquia, o homem da Paz e que viveu radicalmente o Evangelho de Cristo.

Com a presença de muitos devotos, a celebração solene de abertura da festa foi presidida por Frei Bernardo Brandão, ministro provincial da Província Franciscana do MA e PI e concelebraram: Frei Osmar de Jesus, Frei Evaldo Dimon, Frei Heriberto Rembeck, Fri Lucas e Frei Gilberto Magno e contou com o serviço litúrgico do Diácono Cecílio Frazão. A homilia do presidente da celebração foi dedicada à misericórdia de Deus, tema do festejo desse ano em sintonia com o Ano da Misericórdia, promulgado pelo Papa Francisco e sobre as celebrações de 150 ano de nascimento de Frei Jordão Mai, que foi um frade franciscano, que está enterrado em Assis.
Após a Missa, os participantes tiveram a oportunidade de confraternizar-se no largo da Igreja Matriz, onde foi montada uma grande estrutura para atender os visitantes, com música ao vivo, leilões, apresentações culturais, vendas de lanches, almoço, jantar e a convivência fraterna entre os irmãos. Também ao longo desse período, até o dia 11, receberemos vários sacerdotes de outras paróquias que compartilharão conosco a fé no mesmo Cristo com a intercessão de São Francisco.

Não deixe de participar!

São Francisco

Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.
Aconteceu que Francisco foi para a guerra como cavaleiro, mas doente ouviu e obedeceu a voz do Patrão que lhe dizia: “Francisco, a quem é melhor servir, ao amo ou ao criado?”. Ele respondeu que ao amo. “Porque, então, transformas o amo em criado?”, replicou a voz. No início de sua conversão, foi como peregrino a Roma, vivendo como eremita e na solidão, quando recebeu a ordem do Santo Cristo na igrejinha de São Damião: “Vai restaurar minha igreja, que está em ruínas”.
Partindo em missão de paz e bem, seguiu com perfeita alegria o Cristo pobre, casto e obediente. No campo de Assis havia uma ermida de Nossa Senhora chamada Porciúncula. Este foi o lugar predileto de Francisco e dos seus companheiros, pois na Primavera do ano de 1200 já não estava só; tinham-se unido a ele alguns valentes que pediam também esmola, trabalhavam no campo, pregavam, visitavam e consolavam os doentes. A partir daí, Francisco dedica-se a viagens missionárias: Roma, Chipre, Egito, Síria… Peregrinando até aos Lugares Santos. Quando voltou à Itália, em 1220, encontrou a Fraternidade dividida. Parte dos Frades não compreendia a simplicidade do Evangelho.
Em 1223, foi a Roma e obteve a aprovação mais solene da Regra, como ato culminante da sua vida. Na última etapa de sua vida, recebeu no Monte Alverne os estigmas de Cristo, em 1224.
Já enfraquecido por tanta penitência e cego por chorar pelo amor que não é amado, São Francisco de Assis, na igreja de São Damião, encontra-se rodeado pelos seus filhos espirituais e assim, recita ao mundo o cântico das criaturas. O seráfico pai, São Francisco de Assis, retira-se então para a Porciúncula, onde morre deitado nas humildes cinzas a 3 de outubro de 1226. Passados dois anos incompletos, a 16 de julho de 1228, o Pobrezinho de Assis era canonizado por Gregório IX.

Confira as fotografias clicando aqui.
Fotografias - Denival Junior

0 comentários:

Postar um comentário