sábado, 7 de novembro de 2015

Papa: bons samaritanos em defesa da vida

O Papa Francisco recebeu, nesta sexta-feira (06/11), no Vaticano, os participantes da 35ª Conferência dos Centros de Ajuda para a  Vida.
O encontro se realiza em Roma, até o próximo dia 8, e reúne pessoas da Cidade Eterna e de outras partes da Itália, que debatem sobre o tema “Histórias de amor imenso”.
“Vocês estão aqui para participar da conferência nacional e renovar mais uma vez o compromisso de defender e promover a vida humana”, frisou Francisco, incentivando os membros do Movimento pela Vida a prosseguirem na obra em favor da vida desde a concepção até a morte natural.
Pobres
“A vida humana é um dom que deve ser protegido das várias formas de degradação. O trabalho que vocês realizam não é somente um serviço social. Para os discípulos de Cristo, ajudar a vida humana ferida significa ir ao encontro das pessoas carentes, colocar-se ao lado delas e assumir a sua fragilidade e dor para que possam se reerguer”, disse ainda o Papa. 
Feridas
“Quantas famílias são vulneráveis por causa da pobreza, da doença, da falta de trabalho e casa! Quantos idosos carregam o peso do sofrimento e da solidão! Quantos jovens desanimados, ameaçados por dependências e outras escravidões, que esperam reencontrar a confiança na vida! Estas pessoas, feridas no corpo e na alma, são o ícone daquele homem do Evangelho que, percorrendo o caminho de Jerusalém a Jericó, caiu nas mãos de assaltantes que lhe arrancaram tudo, e o espancaram. Ele experimentou a indiferença de alguns e depois a proximidade do bom samaritano”, sublinhou o pontífice.
Indiferença
“Também em nosso tempo existem muitos feridos por causa dos assaltantes de hoje, que tiram das pessoas não somente os seus pertences, mas também a sua dignidade. Diante da dor e necessidades de nossos irmãos indefesos, alguns se viram para o outro lado ou vão adiante, enquanto outros param e respondem ao seu grito de ajuda.”
Bom samaritano
O Santo Padre disse que o Movimento pela Vida, em seus quarenta anos de atividades, procurou imitar o bom samaritano. “Diante das ameaças contra a vida humana, vocês se aproximaram do outro e trabalharam para que na sociedade não sejam excluídos e descartados aqueles que vivem em condições precárias”, destacou o Papa.

Maternidade
“O número relevante de mulheres, sobretudo imigrante, que procura os seus centros mostra que quando é oferecido um apoio concreto, a mulher é capaz de fazer triunfar dentro de si o sentido do amor, da vida e da maternidade”, disse ainda Francisco.
O pontífice concluiu seu discurso, desejando que o Ano Santo da Misericórdia seja para os membros do Movimento pela Vida estímulo e renovação interior. (MJ)

0 comentários:

Postar um comentário