quinta-feira, 17 de setembro de 2015

CRB Regional de São Luis em Bacabal



ASSEMBLEIA ELETIVA DA CRB – REGIONAL MARANHÃO
Os desafios da VRC nas perspectivas atuais e no caminho dos sinais de Deus

Aos onze dias do mês de setembro de 2015, no Centro Franciscano Missionário (CEFRAM), em Bacabal, teve início a Assembleia Geral eletiva, da regional da CRB de São Luís, tendo como tema: “Os desafios da VRC nas perspectivas atuais e caminhos nos sinais de Deus”.

O assessor Pe. Oreste da CRB Nacional, refletiu com os religiosos e religiosas sobre “Os desafios que a Vida Religiosa” vivencia a partir das mudanças atuais que vem ocorrendo no mundo:

1) mudança sociocultural, que traz consequências como: o destaque à subjetividade, valorização da autonomia, da capacidade de mobilidade, o afeto, o exercício da sexualidade e a autossatisfação, deixando de lado a ascese, a abstinência, a abnegação, o sacrifício. Diante dessas mudanças sociais, fica o desafio de cultivar a formação inicial e permanente;

2) Mudança econômica, onde quem manda é o mercado, com suas propostas e o consumidor é a majestade. Não podemos deixar que o mercado seja nosso evangelizador;

3) Avanço tecnológico e científica, que causa um grande perigo de isolar as pessoas, quebrar a comunicação, no uso indevido do computador e do celular;

4) mudança da concepção do tempo e do espaço, é necessário redefinir o tempo do sagrado, da rotina, dos horários de encontros fraternos, sabendo que o tempo é superior ao espaço.

O assessor falou sobre as grandes influências que essas mudanças vem causando na vida de consagrados, na vida dos jovens e das famílias. Depois, fez um relato das atividades da CRB nacional, salientando, entre outros aspectos, a importância da continuidade da missão no Haiti.

D. Armando Gutierrez, bispo de Bacabal, em sua visita à assembleia disse a todos que “certamente Deus está iluminando a todos com o sopro do seu Espírito para que sejam sempre religiosos e religiosas, testemunhas de esperança e profecia no meio de nosso povo. Disse ainda que a Vida Religiosa Consagrada é um dom para o Maranhão, em todas as dioceses e que a irradiação missionária está circulando em todos os lugares onde estiver a Vida Religiosa.

Depois, Pe. Orestes continuou dizendo que é fundamental ter um maior compromisso com as novas gerações, com as pessoas que estão ingressando na Vida Religiosa, estar atentos para perceber os apelos de Deus, as perspectivas da Vida Religiosa Consagrada que são: revitalizar, com novo entusiasmo os regionais e núcleos; resignificar a VRC com vitalidade e continuidade, crescendo na união entre as congregações; cultivar uma espiritualidade de comunhão vivida em comunidade.

Palavra do papa Francisco convoca a compreender e enfrentar os desafios na Vida Consagrada,
contemplando e interpretando os pequenos sinais de Deus no hoje de nossa história

“As novas pequenas manifestações da fé brotam hoje em lugares humildes, no signo de uma Palavra que, se for ouvida e vivida, leva à redenção. Os institutos de vida consagrada e as sociedades de vida apostólica que realizam escolhas a partir dos pequenos sinais interpretativos na fé e na profecia que sabe intuir o além, tornam-se lugar de vida, onde resplandece a luz e soa o convite que chama outros a seguir a Cristo. Plantemos um estilo de obras e de presenças pequenas e humildes como o evangélico grão de mostarda (cf. Mt 13,31-32) no qual brilhe sem fronteiras a intensidade do sinal: a palavra corajosa, a fraternidade alegre, a escuta da voz fraca, a memória da casa de Deus entre os homens. É preciso cultivar “um olhar contemplativo, isto é, um olhar de fé que descubra Deus que habita nas suas casas, nas suas ruas, nas suas praças. A presença de Deus acompanha a busca sincera que indivíduos e grupos efetuam para encontrar apoio e sentido para a sua vida. Ele vive entre os cidadãos promovendo a solidariedade, a fraternidade, os desejos de bem, de verdade, de justiça. Esta presença não precisa ser criada, mas descoberta, desvendada”.[125] A vida consagrada encontra a sua fecundidade não apenas ao testemunhar o bem, mas ao reconhecê-lo e saber indicá-lo, especialmente onde não se costuma vê-lo”. Papa Francisco – Perscrutai.

Fonte: Diocese de Bacabal

0 comentários:

Postar um comentário